Instagram Feed

    Como sair da zona de conforto

    No dia 31 de Julho de 2018, publiquei o meu primeiro vídeo no Youtube. Alguns factos interessantes sobre esse acontecimento:

    • esse primeiro vídeo esteve gravado durante 3 meses antes de ter visto a luz do dia
    • duas ou três tentativas de gravar vídeos já tinham sido feitas antes desta, mas imediatamente eliminadas por achar que não estavam boas o suficiente
    • a ideia de começar a criar conteúdos para o Youtube já cá andava há bastante mais tempo, principalmente a partir do momento em que, no início desse ano, comecei a recomendar a clientes de estratégia que apostassem no Youtube e, ao mesmo tempo, a sentir-me um pouco hipócrita por eu própria não o estar a fazer, quando sabia que era o próximo passo lógico na minha estratégia de conteúdos.

     

    Partilho aqui estes factos porque acredito que demonstram como este passo aconteceu totalmente fora da minha zona de conforto.

     

    zona de conforto

     

    Este conceito da “zona de conforto” já se tornou um bocadinho cliché, é verdade, com frase como “o crescimento acontece fora da zona de conforto” ou “a vida começa no limite da tua zona de conforto” a aparecerem por todo o lado. Mas a verdade é que se continuarmos a fazer as coisas que já se encontram na nossa zona de conforto, nunca mais vamos evoluir.

     

    Também podes ver o vídeo:

     

     

    Afinal o que é isso da Zona de Conforto?

     

    A tua zona de conforto é, muito simplesmente, um padrão de comportamentos que minimiza o stress e o risco. Permite-te viver num estado mental de segurança. As vantagens de viver nesta zona são óbvias: conforto (logicamente), baixos níveis de stress e ansiedade reduzida.

     

    Eu gosto de interpretar a zona de conforto como sendo constituída por aquelas atividades em que já tens prática. E por acaso, tenho um vídeo no canal em que falo exatamente sobre isso:

     

     

    A verdade é que eu tenho feito isto várias vezes. Isto de sair da zona de conforto. Quando há uns anos saltei de uma ponte, saí da minha zona de conforto. Despedir-me tirou-me completamente da minha zona de conforto. Quando o meu blog deixou de ser anónimo, isso tirou-me completamente da minha zona de conforto. Há uns meses, quando fiz skydiving, saí mais uma vez da minha zona de conforto:

     

     

    E, logicamente, lançar o meu canal no Youtube tirou-me totalmente da minha zona de conforto. Mas, tal como explico no vídeo acima e como seria de esperar, a cada vídeo novo que lanço a coisa torna-se um bocadinho mais confortável pois estou a ganhar prática. E não estou a referir-me a ficar mais confortável em frente à câmara, apesar de isso também estar a acontecer com a prática. Estou a referir-me ao facto de que ter um canal no Youtube está cada vez mais próximo da minha zona de conforto e tenho confiança que brevemente estará totalmente dentro da minha zona de conforto.

     

    E com esta prática que estou a ganhar em relação a sair da zona de conforto, quero partilhar contigo os 9 passos que acredito que todos podemos dar para nos desafiarmos cada vez mais e irmos, aos poucos, saindo da nossa zona de conforto, para crescermos, evoluirmos e fazermos coisas que nos realizem.

     

     

    9 Passos para Sair da Zona de Conforto

     

    Nem todos estes passos são obrigatórios, mas são aqueles que eu consegui identificar nos meus próprios processos.

     

    1 – Identifica o que gostavas de fazer

    Eu consegui identificar que queria começar a criar conteúdos porque percebi como isso poderia ser bom para o meu negócio, ajudando-me a transmitir conhecimentos, criando autoridade, proximidade com as pessoas, e porque me permite ajudar pessoas que ainda não estão preparadas para investirem num profissional da área.

     

    Quase todos temos objetivos desafiantes que exigem que nos desloquemos para fora da nossa zona de conforto. É apenas uma questão de identificarmos qual é a primeira ação que devemos executar. Pode surgir naturalmente, como aconteceu comigo, ou pode exigir um esforço consciente. Se assim for, senta-te, pensa no teu objetivo e define um plano de ação. De o objetivo for realmente desafiante, de certeza que vai incluir passos que te vão tirar da zona de conforto. Escolhe por onde vais começar.

     

    2 – Começa a habituar-te à ideia

    Começa a falar com outras pessoas sobre o assunto, sobre o desafio que tens à tua frente e sobre como pensas enfrentá-lo. Isto vai ajudar a tornar a coisa mais real.

     

    Começa a planear como vais executar. O que vais fazer primeiro e em que datas? À medida que vais definindo os passos consecutivos, tudo se torna mais concreto e vais-te sentido cada vez mais próximo da concretização.

     

    3 – Visualiza o sucesso

    Tenta visualizar-te depois de concluído o processo. Eu sou, naturalmente, uma daydreamer, por isso faço isto com muita naturalidade, e acredito mesmo que ajuda. Aquela ideia que, em tempos, pareceu tão estranha (como assim, eu no Youtube!!!???) vai-se tornando cada vez mais próxima e acabas por te começar a identificar com ela.

     

    Se não te acontecer naturalmente como a mim, faz um esforço consciente (mais uma vez) e, por exemplo, quando fores dormir visualiza-te a concretizar aquela ação que está tão fora da tua zona de conforto.

     

    4 – Começa devagar (ou não)

    Repara que até aqui ainda não fizeste nada de concreto. Mas eventualmente chega o momento de começares a executar. Então começa. Devagar e progressivamente.

     

    No meu caso, foi pegar na câmara e começar a gravar-me, ver como ficava, o que gostava de mudar, qual o background que iria usar, por aí. Não avancei logo para a publicação porque ainda não estava preparada.

     

    Os primeiros passos podem ser pequenos, mas pelo menos saberás que já estás a agir e a concretização tornar-se-á cada vez mais próxima.

     

    Nem sempre é possível fazer as coisas assim. Quando fiz skydiving, não foi possível dar passos pequenos. Foi marcar o salto, seguir para Évora, entrar no avião e saltar. E às vezes saltar de cabeça é mesmo o melhor que temos a fazer.

     

    5 – Faz um esforço para não dar importância àquilo que os outros pensam

    Se vais sair da tua zona de conforto, é provável que vás fazer algo que vai suscitar determinadas opiniões nas outras pessoas. E isso pode assustar-te. Tenta não deixar que isso aconteça.

     

    Já escrevi sobre como deixar de dar importância àquilo que os outros pensam, e esta será uma boa altura para aplicar essas dicas.

     

    Eu passei por isso agora com o arranque no Youtube. Acredito que ainda há muitas pessoas com ideias muito erradas em relação ao Youtube, aos Youtubers e a criadores de conteúdo no geral e confesso que isso assustou-me um pouco. Mas sabem uma coisa? Qual é o problema se as outras pessoas não perceberem? Qual é o problema se acharem que eu “agora quero viver do Youtube e deixar de trabalhar”? Isso não diz nada sobre mim, apenas diz sobre as suas opiniões e, como afirmei no meu segundo vídeo, quando a vontade de ajudar outras pessoas se sobrepõe ao medo daquilo que os outros vão pensar, é quando finalmente decidimos avançar.

     

    6 – Estuda e aprende novas competências

    Poderá não ser sempre necessário, mas na maior parte das vezes será. Precisei de estudar muito quando mudei de carreira e agora que comecei no Youtube, passei horas e horas, ao longo dos meses anteriores, a estudar esta plataforma, tentar perceber o que funciona, o que estão outros criadores dentro dos meus tópicos a fazer e, simplesmente, a absorver muita informação.

     

    É verdade que acredito que a maior aprendizagem vem com a execução, não apenas com o estudo. Mas ter uma boa base de conhecimento teórico sem dúvida que ajuda a estarmos mais à vontade quando fazemos algo totalmente novo.

     

    7 – Não te forces a fazê-lo enquanto ainda não te sentires preparado

    Não vale a pena forçar. Quando chegar o momento certo para avançar vais saber. Provavelmente vais sentir. Enquanto isso não acontecer, continua a preparar-te mas não te atormentes porque algo ainda não está a acontecer. Acredito que estas coisas acontecem exatamente quando têm de acontecer, nem antes nem depois. É confiar!

     

    8 – Trabalha na tua confiança

    Sempre que fazemos coisas novas, a nossa auto-confiança acaba por dar uma grande ajuda. Eu sinto que passei a sair muito mais da minha zona de conforto desde que me tornei uma pessoa mais confiante. Penso mesmo que, em tempos, a falta de confiança foi um dos principais bloqueadores no que toca a fazer coisas novas. Por algum motivo este blog começou como anónimo! Sim, começar a escrever aqui foi algo totalmente novo, mas durante quase um ano o meu nome completo e a minha cara não apareceram por aqui.

     

    E quando conseguimos ganhar confiança, ela dissipa-se para várias áreas das nossas vidas e torna tudo mais fácil. Desde tomar iniciativa para falar com pessoas novas ou mesmo expormo-nos desta forma perante algumas centenas de pessoas (sim, que já lá vão cerca de 1000 visualizações no Youtube!).

     

    E como se pode ganhar esta confiança? Acaba por ser uma escolha, como na maior parte das coisas, mesmo que não pareça. Mas o que pode ajudar é olharmos e darmos valor aos nossos sucessos, em qualquer área, assumirmos uma fisionomia de confiança, já que as emoções afetam a nossa linguagem corporal mas o oposto também é verdade, ou fazermos trabalho específico para aumento da auto-confiança, como workshops ou coaching.

     

    9 – Aprende a viver com a falha

    Volto sempre ao mesmo porque é mesmo importante. Cada vez me convenço mais de que não há falhas, apenas oportunidades para aprendizagem. Já falei sobre aprender a lidar com a falha antes e desta vez queria salientar que essa falha é mesmo inevitável. Quando fazemos coisas novas, é quase impossível não falhar pois é muito difícil fazer as coisas bem à primeira.

     

    Por isso, se vamos sair da nossa zona de conforto, vamos assumir logo à partida que vamos falhar – ou seja, que não vai sair tudo perfeito desde o início. E vamos aprender com isso e aproveitar para evoluirmos. Afinal, é disso que se trata quando falamos de ter um mindset de crescimento.

     

    Deixo um desafio maior ainda: vamos mesmo procurar “falhar”, porque quanto mais falharmos, mais vamos aprender, crescer e evoluir!
    (isto não se aplica à situação do skydiving, ok?)

     

     

    Expandindo a nossa a Zona de Conforto

     

    Também acho que é uma boa estratégia irmos trabalhando para expandir a nossa zona de conforto aos poucos, mesmo antes de nos depararmos com grandes desafios – como despedirmo-nos ou começarmos um canal no Youtube. Por exemplo, o Tim Ferriss recomenda um desafio para nos habituarmos a ouvir não, ou seja, para nos habituarmos à rejeição: pedir um desconto no Starbucks quando compras café. A probabilidade de te rejeitarem o desconto é elevadíssima mas o risco é muito baixo: nada da mau te vai acontecer com uma rejeição destas. Eu nunca experimentei, se alguém desse lado já o fez, por favor, partilhe a experiência nos comentários, tenho muita curiosidade em saber!

     

    Mas há outras formas de conseguir expandir a zona de conforto: basicamente, fazendo coisas novas e diferentes.

     

    Do one thing every day that scares you.

    Eleanor Roosevelt

     

    Eu deixo aqui alguns exemplos de pequenos passos que podem ir dando para trabalharem esta expansão:

    1 – Lavar os dentes com a mão esquerda – eu experimentei esta recentemente e dá completamente a volta ao cérebro!

    2 – Vai em primeiro lugar – alguém faz uma pergunta numa reunião?, pedem um voluntário?, é preciso alguém para fazer uma apresentação? Não penses muito e oferece-te logo para faze-lo!

    3 – Apresenta-te a um estranho – não costumo fazer muitas vezes mas sei que nos tira mesmo da zona de conforto.

    4 – Viaja sozinho – poucas coisas nos tiram tanto da zona de conforto como viajar, e se formos sozinhos então, vais ver como te vais conhecer melhor e crescer pelo caminho.

    5 – Escolhe um caminho diferente para o trabalho – já fazes esse caminho em piloto automático, certo? Então desafia-te e muda!

    6 – Aprende uma língua nova – há quanto tempo não aprendes algumas palavras numa língua nova?

    7 – Vai a uma aula que te deixe desconfortável – dança, desenho, cerâmica, teatro? O que te tira da zona de conforto? Então é essa que deves fazer.

    8 – Vai a um restaurante sozinho – já fiz isto algumas vezes, principalmente quando vivi fora do país e quando viajo sozinha. Ao princípio é bastante estranho mas depois torna-se maravilhoso!

    9 – Diz o teu objetivo mais ambicioso em voz alta – se for realmente ambicioso, quase de certeza que ainda não te sentes preparado para o concretizar, o que é perfeitamente normal, e dizê-lo em voz alta vai deixar-te desconfortável!

    10 – Acorda uma hora mais cedo todos os dias durante uma semana – eu não vou tentar fazer esta porque já acordo bastante cedo, mas para quem tem dificuldades, pode ser um bom desafio.

    11 – Salta de um avião

    12 – Publica um vídeo no Youtube 🙂

     

     

    Como conclusão, resta-me dizer que estou a adorar isto de estar no Youtube. Todo o processo de criação me fascina, inspira e motiva, e o excelente feedback que tenho recebido também está, claro, a contribuir para a minha satisfação. Não conto parar com isto tão cedo, muito pelo contrário: esta semana já saíram 2 vídeos e estou quase quase a tomar a decisão de manter este calendário!

     

    E tu? O que queres fazer que te dá medo? O que achas que te faria crescer mas está demasiado fora da tua zona de conforto? Partilha comigo nos comentários, assim como o primeiro passo que vais dar para fazeres isso acontecer.

     

    Sair da zona de conforto já se tornou um hábito e começar um canal no Youtube é só um exemplo. Trago-te 9 passos para também tu saíres da zona de conforto!

    Sair da zona de conforto já se tornou um hábito e começar um canal no Youtube é só um exemplo. Trago-te 9 passos para também tu saíres da zona de conforto!

    Post A Comment